júreia reserva ecologica guarau peruíbe cachoeira jornal peruíbe

PERUÍBE POSSUI RESERVA ECOLÓGICA COM UMA DAS MAIORES BIODIVERSIDADES DO BRASIL

Juréia, entre praias, rios e cachoeiras, uma das maiores biodiversidades do Brasil, confira.

Cento e quarenta quilômetros separam a cidade de Peruíbe, litoral sul de São Paulo da capital do Estado. No entanto, a viagem de cerca de 2h30 se torna uma agradável recompensa para aqueles que desejam conhecer uma das maiores biodiversidades do País: a Estação Ecológica da Juréia-Itatins.

Criada em 1986 para preservar uma área de cerca de 80 mil hectares de Mata Atlântica e ecossistemas associados, a Juréia oferece aos turistas lindas praias desertas, rios e cachoeiras, além de fauna e flora preservadas. Mas é preciso ter tempo para apreciar este paraíso ecológico, pois os roteiros abertos à visitação pública costumam ser longe uns dos outros.

De Peruíbe, o ponto de partida do passeio, o acesso à Estação se dá pela avenida Anchieta, principal da cidade, até estrada do Guaraú-Una. De lá são seis quilômetros de estrada asfaltada até o bairro do Guaraú. No local, uma das primeiras surpresas: a praia do Guaraú, limitada pela serra do Mar, por um lado, e pelo Rio Guaraú, por outro. Com 1,8 mil metros de extensão, as águas calmas e limpas predominam. Contudo, o destaque dali fica por conta do turismo náutico pelo rio Guaraú feito por meio das canoas havaianas ou canadenses.

A partir do Guaraú, a estrada Guaraú-Una é de terra. Normalmente o trajeto para outras opções de roteiros é realizado de jipe pelas empresas de ecoturismo da região. “Este é o tipo de transporte mais indicado para o percurso, inclusive em dias de chuva, uma vez que garante maior conforto e segurança às pessoas”, comenta o guia de turismo Remo Eckert.

Para quem deseja continuar no circuito das praias, uma boa dica é conhecer a orla do Caramborê, a 18 quilômetros da praia do Guaraú. São 543 metros de areia batida, com águas mansas e esverdeadas, onde a infra-estrutura é formada apenas por um camping. De lá, partem duas trilhas: uma de 500 metros, feita a pé pela costeira até a Barra do Una e outra que exige uma caminha de 30 minutos por um trajeto íngreme até a praia Desertinha.

A Barra do Una é um vilarejo de pescadores que fica às margens do rio Una, que corta a floresta e deságua no mar. A praia oferece um serviço básico de bares e restaurantes. Já na Desertinha, como o próprio nome sugere, não existem habitantes nem comércio. Seus 319 metros de areia fina e firme normalmente são usados para pesquisa científica e educação ambiental.

Aos turistas que preferem o banho de cachoeira ao invés do de mar, a Paraíso é uma ótima alternativa. Localizada no rio Itinguçu entre a serra do Itatins e a planície costeira, é um dos lugares mais procurados pelos visitantes em busca de aventura. Duas piscinas naturais – uma delas com cinco metros de profundidade – e uma queda de aproximadamente 10 metros de altura que é alcançada por uma trilha, ajudam a compor o cenário da diversão dos que querem escorregar do ponto mais alto deste tobogã. Para quem não está disposto a tantas emoções, o ideal é ficar nos níveis mais baixos da cachoeira. “Há trechos em que é possível ficar em pé, indicado principalmente para as crianças”, alerta Remo.

Seja qual for o passeio escolhido, é fundamental que a iniciativa de preservação da Estação Ecológica da Juréia esteja sempre em alta. “Com o aumento do turismo, fazemos questão de despertar a consciência ambiental em nossos visitantes reforçando, por exemplo, a importância de não se jogar lixo na mata”, finaliza Remo.

Fonte: http://guiadolitoral.uol.com.br/jureia-2346_2008.html

2 ideias sobre “PERUÍBE POSSUI RESERVA ECOLÓGICA COM UMA DAS MAIORES BIODIVERSIDADES DO BRASIL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *